5 reflexões que vão transformar sua vida financeira

Atualizado em 16 de set de 2021

Conheça algumas atitudes que vão ajudar na sua organização financeira

Anúncios

 

Segundo Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor, também chamada de Peic, que é realizada todos os meses pela CNC – Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, o primeiro semestre de 2021 terminou com 70% das famílias brasileiras em situação de endividamento.

 

Além disso, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontou um aumento de cerca de 14,7% na taxa de desemprego no primeiro trimestre de 2021 – um fator altamente relevante para o aumento da taxa de inadimplência entre os brasileiros.

Anúncios

 

Grande parte do aumento nesses números está diretamente relacionado com o advento da pandemia causada pelo novo coronavírus. Além de ser um grande causador de demissões ao redor do país, a pandemia também impactou no orçamento familiar dos autônomos.

 

Com diversos trabalhadores informais/autônomos sendo impossibilitados de realizarem os seus serviços, dadas as medidas de restrição, o jeito foi recorrer a crédito ou deixar algumas contas de lado, priorizando outras.

 

Como resultado, o endividamento atingiu um percentual surpreendente.

 

E como estão as suas finanças? Se você também se endividou durante essa pandemia ou então está com medo de perder o controle da sua vida financeira, este texto vai te ajudar.

 

Existem algumas atitudes que podem lhe ajudar a manter o controle da sua vida financeira, atitudes que vão colaborar para a organização das suas finanças. Siga com a sua leitura e saiba como escapar desses índices negativos e se livrar das dívidas!

Autocontrole no consumismo

 

Segundo pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito – o já conhecido SPC – 41% da população brasileira que compra por impulso estão endividados, atestando assim, que a impulsividade é uma das principais causas de endividamento das pessoas.

 

Basicamente, o levantamento indica que a cada 10 consumidores ouvidos, 2 (21,8%) realizam compras impulsivamente e com frequência.

 

Como solução para este problema que atinge milhares de pessoas, existe uma prática fundamental para o autocontrole: a reflexão.

 

Ou seja, antes de fazer uma compra por impulso, sempre analise qual é a sua realidade antes de efetuar a compra.

 

Com isso, você evita gastos desnecessários e supérfluos, minimizando as chances de inadimplência. 

5 Perguntas para você analisar e mudar a sua financeira

 

Existem algumas atitudes básicas e simples que podem causar uma mudança revolucionária em sua realidade econômica. Logicamente, a mudança não acontece do dia para a noite, e há algumas questões que vão te ajudar nessa jornada.

 

Pegue papel e caneta, e anote essas dicas imperdíveis!

1. Quais são as minhas maiores habilidades?

 

Faça uma lista com as suas cinco maiores habilidades, seja no âmbito profissional ou em outras áreas da sua vida.

 

Além disso, anote também quais são as cinco atividades que você mais gosta e sabe fazer!

2. Como posso aumentar a renda usando as minhas habilidades?

 

Com a ajuda da internet, faça uma breve pesquisa sobre as atividades rentáveis que você pode exercer a partir das habilidades listadas no tópico anterior.

Anúncios

 

A partir disso, você poderá definir por qual competência você quer iniciar uma nova fonte de renda.

3. Como guardar meu dinheiro?

 

Você sabe guardar o dinheiro que você ganha?

 

Existem algumas opções que possuem autorização do Banco Central, conforme o programa Bem-estar financeiro, criado pela Comissão de Valores Mobiliários, para que você possa guardar o seu dinheiro de forma segura e rentável.

 

Veja quais são elas:

 

Poupança

 

Muitos especialistas não consideram a poupança como um investimento, mas isso não tira o fato de que ela é, geralmente, o primeiro contato da maioria dos brasileiros com aplicações do mercado financeiro.

 

Tesouro direto

 

Você sabe o que é o Tesouro Direto? Basicamente, se trata de títulos públicos para investimento no Tesouro Nacional. Ou seja, na prática, você estará emprestando dinheiro para o Governo e os juros se transformarão em rentabilidade.

 

Basicamente, são títulos de renda fixa que irão financiar os principais setores econômicos do Brasil, como por exemplo o setor Agropecuário e Imobiliário. Lembrando que esses títulos só podem ser feitos por intermédio de um banco autorizado.

 

Certificado de Depósito Bancário (CDB)

 

O CDB é uma outra categoria de investimento que tem se tornado muito popular entre os brasileiros. Ele se trata de um título de renda fixa, onde o investidor deposita uma quantia em uma instituição financeira durante um período pré-determinado em troca de rendimentos.

 

Previdência Privada

 

A Previdência Privada já tem um nome mais auto-explicativo.

 

Basicamente, é um plano de depósito fixo e que possui uma periodicidade previamente definida, sendo o rendimento proporcional ao valor contribuído.

 

Entretanto, existem dois tipos de tributação que devem ser analisados: o Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) e o Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL). 

4. Tenho uma reserva de emergência?

 

Quando o assunto são finanças pessoais, a reserva financeira é uma dos principais pontos a serem analisados. É exatamente essa reserva que irá te socorrer nos momentos de imprevisto.

 

Segundo o jornalista e economista Dony De Nuccio, é ideal equilibrar as contas pessoais antes de fazer uma reserva financeira.

 

Para saber a quantia necessária para montar a sua reserva, você deverá calcular o valor do seu orçamento doméstico mensal, multiplicando-o por 6.

 

Ou seja: se a sua família precisa de R$ 1.500,00 para subsistir no mês, logo a sua reserva de emergência ideal é de 1.500 x 6 = R$ 9.000,00.

 

E não se assuste com esse número, lembre-se que a reserva não é feita do dia para a noite, e sim de forma gradativa.

5. Quando devo usar minhas economias?

 

O dinheiro separado na reserva de emergência é, como o próprio nome diz, para emergências.

Dessa forma, só utilize esses valores em momentos de alta necessidade, afinal, foi para isso que você construiu esse fundo.

 

Tente utilizar a sua reserva de emergência apenas em situações como:

 

  • Manter a subsistência da casa em situação de desemprego;
  • Viagens emergenciais;
  • Conserto ou em caso de roubo de carro; 
  • Problemas de saúde.

 

Seguindo essas dicas, você mudará por completo os seus hábitos e terá uma vida financeira muito mais organizada e saudável!

 

Pablo Januario