Cartão de crédito para negativados: saiba como ter o seu

Atualizado em 11 de ago de 2021

Conheça as opções do mercado para quem está com o nome sujo na praça

Anúncios

 

Em pesquisas realizadas recentemente, os números apontam que os brasileiros que estão com o nome negativado na praça ainda é enorme.

 

E como consequência negativa, essas pessoas acabam sofrendo com uma série de desvantagens na hora de conseguir crédito. E é justamente para estes casos que encontrar um cartão de crédito para negativados é uma missão difícil, porém, não impossível.

Anúncios

 

Contar com um cartão de crédito muitas vezes é a solução ideal para o controle das finanças, assim como também sair de um aperto financeiro. Entretanto, é de suma importância fazer isso com muito cuidado, já que em caso contrário, você pode acabar se metendo em outra dívida.

 

E se você é negativado e tem dificuldades em encontrar um cartão de crédito para chamar de seu, nós vamos te ajudar! Siga com a sua leitura e conheça as opções para quem está com o nome sujo.

Cartão de crédito para negativados: conheça as opções

Cartão pré-pago

 

Um cartão pré-pago funciona como qualquer outro cartão que possui a função de débito, porém, ele precisa ser recarregado com um determinado valor.

 

Ou seja, as transações feitas com ele consomem o saldo depositado até o seu fim, e após isso, é necessário recarregá-lo novamente.

 

Na prática, o cartão pré-pago funciona como uma conta de celular pré-paga: o uso é limitado ao valor depositado no saldo.

 

Regulamentado pelo Banco Central do Brasil em 2014, as tarifas incidentes sobre ele geralmente são bem mais baixas que as dos cartões de crédito que possuem cobrança de anuidade, por exemplo.

 

Normalmente, o cartão pré-pago é mais utilizado em compras presenciais, em assinaturas de serviços de streaming e também em compras feitas online.

 

Um fato importante que deve ser mencionado é que, apesar dele ser usado como cartão de crédito no momento da compra, não é permitido parcelar as transações com o mesmo.

 

Tanto o saldo quanto o extrato das compras do cartão podem ser consultados no aplicativo ou site da instituição que oferece o plástico.

 

Em relação a isso, é sempre muito importante ficar de olho no saldo se o cartão pré-pago é um meio de pagamento no qual você usa com relativa frequência, afinal, pode acontecer de você não ter saldo suficiente na hora de pagar uma compra.

Cartão de crédito consignado

 

Se você é funcionário público, aposentado ou pensionista do INSS, possivelmente já se deparou ou lhe ofereceram um cartão de crédito consignado.

 

Mas você sabe de fato o que ele é?

 

Basicamente, ele é um modelo que funciona de forma muito parecida a um cartão de crédito comum, podendo ser utilizado para fazer compras no comércio, pagar serviços por assinatura ou realizar saques.

Anúncios

 

A diferença do cartão consignado para o comum é a forma de pagamento da fatura, que é descontada diretamente da conta bancária ou holerite do usuário.

 

Sendo assim, é normal que o cartão de crédito consignado tenha taxas de juros relativamente menores que os demais plásticos do mercado, o que acaba sendo uma notícia excelente para o cliente.

 

Porém, é válido mencionar que, assim como os demais modelos de cartão de crédito, se não for utilizado com sabedoria e organização, ele pode ser o motivo de endividamento.

 

Segundo dados obtidos pelo Ibedec (Instituto Brasileiro de Estudos e Defesa das Relações de Consumo), aproximadamente 70% dos servidores públicos estão endividados. Isso tem ocorrido de forma muito similar com aposentados e pensionistas, segundo números de 2016.

 

Sendo assim, antes de contratar um cartão de crédito consignado, saiba bem quais são as suas regras, vantagens e desvantagens, para assim poder utilizar o produto a favor de suas finanças.

 

Sendo assim, se você é servidor público civil ou militar, aposentado ou beneficiário do INSS, pode ter acesso ao cartão de crédito consignado, basta procurar pelas instituições financeiras que mais lhe agradam.

 

Sobre o limite de crédito, são as instituições que atribuem um valor para você usar em suas compras.

 

Na data do seu pagamento, o valor relativo ao pagamento mínimo da sua fatura será descontado de forma direta e automática do seu contracheque, desde que não ultrapasse de 5% da sua renda.

 

Ou seja, para alguém com uma renda de R$ 1.000,00, por exemplo, o valor mínimo da fatura do cartão não poderá passar de R$ 50,00.

Cartão de crédito atrelado a investimento

 

Entre os principais players do mercado brasileiro, o cartão de crédito atrelado a investimentos é uma boa alternativa para aumentar o limite do cartão e também para negativados que têm dificuldades na hora de solicitar um plástico.

 

A modalidade, que já é antiga nos Estados Unidos, começou a ficar cada vez mais popular no Brasil desde o ano passado.

 

Como mencionado, o modelo é bem atrativo para os consumidores que estão com o nome sujo na praça e têm dificuldades de conquistar a aprovação da análise de crédito nas instituições financeiras.

 

Ou seja, para obter o limite, é necessário que você faça um investimento no produto do banco em questão, para que os recursos sejam aplicados como garantia.

 

E uma das principais vantagens dessa opção é a não incidência de juros, afinal, a instituição financeira pode resgatar as quantias e evitar possíveis inadimplências.

 

Entre os exemplos de cartão atrelados a investimentos, temos um bem popular que é o modelo do PagBank. Através dele, após fazer uma aplicação na forma de Certificado de Depósito Bancário (CDB) elegível da conta, você já transforma o valor em limite.

 

Caso queira consultar quais são as categorias de CDBs que se encontram na modalidade, acesse o super app do PagBank, escolha a opção “Produtos” e vá em “Aplicar meu dinheiro”. Após isso, selecione a opção de CDB desejada.

 

Por fim, verifique se o campo “Cartão de crédito opcional” está marcado.

 

Além do PagBank, o Banco Inter também conta com uma opção bem popular, o CDB + Limite de Crédito, o qual é possível fazer aportes que vão de R$ 100 até R$ 100 mil.

 

No Inter, em caso de não pagamento da fatura, o banco digital pode usar o saldo do investimento para descontar a dívida.

 

Pablo Januario