Crediário vale a pena? Detalhes, mitos e verdades

Artigo atualizado em 5 de setembro de 2019

Mesmo com as inovações do mundo das finanças, muitos brasileiros ainda são adeptos dessa modalidade de crédito. Para se ter uma ideia, cerca de 30% da população ainda é adepta do crediário, porém, ainda há diversas dúvidas sobre ele. Vamos agora conhecer mais sobre o crediário, e ver quais os mitos e verdades que circundam essa modalidade. Talvez você já tenha recebido algum tipo de proposta vinda de uma rede varejista, oferecendo compras por intermédio do crediário. Muito comum desde a década de 2000, o crediário ganhou popularidade quando houve a isenção de impostos para a chamada “linha branca” dos eletrodomésticos, que incluia fogões, máquinas de lavar e geladeiras.




Crediário ainda é forte

Hoje em dia, mesmo com uma série de modalidades em outros formatos de crédito, o crediário ainda segue forte e é utilizado por um número considerável de consumidores, principalmente como resultado da recessão econômica vivida pelo Brasil nos anos entre 2014 e 2016.

Segundo a CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) e também pelo SPC Brasil, o crediário teve um crescimento nos últimos dois anos. Para se ter uma ideia, entre 10 brasileiros, 3 utilizaram crediário no último ano, simbolizando um total de 30%. Além disso, chegou-se ao número de 26% dos consumidores que fazem uso do crediário durante todos os meses do ano.


A falta de recursos para se optar pelo pagamento à vista, como uma estratégia de fazer mais compras, processo menos burocrático e a possibilidade do parcelamento da compra,

são os principais atributos que atraem os consumidores para a modalidade do crediário como uma opção viável para o consumo.

O que é de fato o crediário e como ele funciona?

Deu pra notar que o crediário é um formato muito utilizado pelos brasileiros, não é mesmo? Porém, nem todos sabem ao certo o que ele é e como funciona.

Basicamente, é um financiamento de bens e serviços. As parcelas da modalidade são fixas tendo o acréscimo de juros e correção monetária. De uma forma mais simples, o consumidor sai do local de compra já sabendo quanto terá de pagar por cada parcela e quando essas vencem.

Geralmente, são oferecidos parcelas que vão até 48 vezes, um período longo que pode levar ao endividamento caso a pessoa não tenha uma boa organização financeira.



crediário
Famosas filas dos crediários ainda são comuns

Como posso conseguir a abertura de crediário?

Para conseguir a abertura de um crediário, primeiro deve-se passar por uma análise de crédito. Geralmente, ela é feita na própria loja em que você está desejando comprar e analisará o seu histórico de pagamentos anteriores.

Os juros do crediário são de quase 6%, um número interessante caso comparado com os juros rotativos do cartão de crédito.

Mitos e verdades sobre o uso do crediário

Mesmo sendo um método de compra bem popular, o crediário ainda está mergulhado em uma série de mitos e inverdades, o que pode atrapalhar bastante na hora de se optar ou não por esse formato.

A seguir, veremos o que é mito e o que é verdade a respeito do uso do crediário.

Usar o crediário é como comprar fiado?

Mito. De forma avessa à compra fiada, o uso do crediário é concedido apenas após uma análise de crédito.

Essa confusão acontece muito pelo fato do consumidor sair do estabelecimento com o seu produto “sem pagar”

Crediário não possui juros?

Mito. Assim como qualquer outro tipo de método de pagamento a prazo, o crediário também possui juros. Sim, eles são inferiores que o crédito rotativo do cartão de crédito, mas é importante ter em mente que a incidência de juros pode ser um agravante caso as parcelas do crediário sejam atrasadas.

Segundo a lei, para aqueles comércios que não operam com recursos do mercado financeiro, como multa, pode ser cobrado uma taxa de 1% ao mês, além de 2% de juros mensais. O acumulado geral no ano pode chegar até 42,58%.

É possível abrir mais de um crediário em uma mesma instituição?

Sim, isto é verdade. Mesmo que você já tenha comprado em um comércio se utilizando do crediário como forma de pagamento, pode voltar a fazer compras utilizando o mesmo sem maiores problemas.

Porém, é ideal sempre estar atento a todas as dívidas já abertas, para evitar que elas se tornem verdadeiras bolas de neve e comprometam a sua saúde financeira no futuro.

Existe algum tipo de limite pré definido?

Outra verdade. O limite é definido conforme as práticas de consumo desse consumidor. a análise de crédito, informações simples relacionada à renda são vistas, consultando também os documentos e o score dessa pessoa.

Porém, é válido ressaltar que o consumidor precisa ficar atento às regras estipuladas por cada loja para a liberação do crediário.

Pessoas com00 restrição ao nome podem solicitar compras com crediário?

Sim, verdade. A princípio, ter o nome sujo em cadastros de proteção ao crédito, podem dificultar bastante a tentativa de uma forma de financiamento. Porém, há diversos estabelecimentos que oferecem a oportunidade para esses consumidores.

É como um cartão de crédito que você parcelou a fatura passada mas ainda pode continuar fazendo uso sem maiores problemas.

Procure se inteirar sobre as regras para compras de crediário que o estabelecimento que você deseja consumir possui.

Boleto e crediário: são as mesmas coisas?

Mito. Mesmo que aparentemente eles sejam visualmente iguais, as duas modalidades possuem algumas diferenças.

O boleto é um título de cobrança que pode ser quitado em diversas instituições financeiras, como lotéricas e bancos. Geralmente, esse formato não gera uma dívida muito longa, sendo comumente de parcela única. Já quando se trata do crediário, ele é um título de compra e prestação de serviço, que virá a ser pago no longo prazo.

Enfim, agora que você conheça mais sobre o crediário, pode considerar todas as vantagens e desvantagens em se optar por esse método de crédito. Analise bem as condições, as taxas de juros, e fala dívidas conscientes, tendo em mente que se deve gastar sempre menos do que se ganha.