Dinheiro esquecido Banco Central: confira os maiores valores de resgate

Atualizado em 8 de abr de 2022

Valores esquecidos em contas bancárias podem ser resgatados. Saiba como!

Anúncios

 

Recentemente, o Banco Central do Brasil divulgou a informação de que um cliente realizou um resgate de R$ 1,65 milhão pelo sistema do chamado Dinheiro esquecido. E saiba que  essa não foi a única pessoa a ficar milionária com a ferramenta que possibilita o resgate de valores esquecidos em contas bancárias.

 

O BC publicou essa semana uma lista dos 10 maiores saques feitos pelo sistema do Dinheiro esquecido, alguns que foram deixados em conta poupança e outros que são referentes à consórcios.

Anúncios

 

Confira a seguir a lista dos 10 maiores resgates e entenda também um pouco mais como funciona essa oportunidade do BC de resgatar dinheiro deixado em conta.

 

Siga com a sua leitura e confira! 

Confira os 10 maiores valores resgatados no dinheiro esquecido do BC 

 

A primeira fase do dinheiro esquecido somou um total de R$ 3,3 bilhões em recursos disponibilizados. Porém, desse todo, apenas 1.370 pessoas tinham montantes esquecidos que ultrapassavam os R$ 100 mil.

 

Abaixo, confira quais são os maiores valores liberados e de onde eles vieram:

 

  1. Valor de resgate de R$ 1.625.244,52: Dinheiro disponível em uma conta de depósito à vista e recursos não procurados referentes a grupos de consórcio finalizados;

 

  1. Valor de resgate de R$ 1.155.143,12: Dinheiro de recursos não procurados referentes a grupos de consórcio encerrados;

 

  1. Valor de resgate de R$ 837.972,75: Dinheiro de recursos não procurados relativos a grupos de consórcio encerrados;

 

  1. Valor de resgate de R$ 609.910,75: Dinheiro de tributos e encargos de operações de crédito, conta de depósito à vista e também conta de depósito de poupança;

 

  1. Valor de resgate de R$ 461.558,89: Dinheiro advindo de cotas de capital a pagar de cooperados que foram desligados, conta de depósito à vista e também advindos de recursos não procurados relativos a grupos de consórcio encerrados;

 

  1. Valor de resgate de R$ 454.726,14: Dinheiro de uma conta de depósito à vista;

 

  1. Valor de resgate de R$ 446.987,01: Dinheiro de uma conta de depósito à vista;
  2. Valor de resgate de R$ 324.289,61: Dinheiro de recursos não procurados referentes a grupos de consórcio encerrados;

 

  1. Valor de resgate de R$ 312.596,62: Dinheiro de uma conta de depósito à vista;

 

  1. Valor de resgate de R$ 278.931,62: Dinheiro de uma conta de depósito de poupança.

Segunda fase do ‘dinheiro esquecido’ do BC

 

A partir do dia 2 de maio, o Banco Central iniciará a segunda fase do dinheiro esquecido. Mesmo que o cliente já tenha feito a consulta na primeira fase do programa e não tenha encontrado nenhuma quantia disponível para retirada, é possível que haja valores a receber nessa próxima etapa.

Anúncios

Como saber se você tem dinheiro esquecido e resgatar valores

 

Se você quer saber se existem valores disponíveis para resgate em alguma instituição bancária, acesse o site do Banco Central (clicando aqui) e informe alguns dados solicitados, como CPF e data de nascimento.

 

Se existem valores a receber, o sistema irá informar qual a data e horário corretos para que você solicite a sua devolução.

 

Para poder retirar essas quantias esquecidas nas instituições bancárias, você deve acessar o portal online no dia e hora indicados na consulta que ensinamos acima, e logo em seguida, faça o login com a sua conta Gov.br e aceite o termo de ciência da aplicação.

 

Confira o valor disponível que você tem a receber, o banco que irá fazer a devolução da quantia e também a origem do dinheiro, além de algumas outras informações que também serão disponibilizadas.

 

A instituição responsável deverá fazer a devolução do dinheiro via Pix em até 12 dias úteis ou por outra forma que poderá ser acordada via telefone ou e-mail.

 

Vale lembrar também que, as pessoas que têm valores esquecidos nos bancos e perderam algum prazo, não correm o risco de deixar de receber as quantias em questão.

 

Isso ocorre porque elas continuam armazenadas nas instituições financeiras e podem ser retiradas futuramente sem maiores dificuldades. Além disso, as pessoas que realizaram consultas e não encontraram valores disponíveis para retirada, podem fazer uma nova verificação nessa segunda etapa que começa a partir do dia 2 de maio, data em que os bancos irão enviar novas listas de dados ao Banco Central.

Como evitar cair em golpes

 

Infelizmente, golpes são muito comuns nesse universo da internet. E não é diferente quando estamos falando do Dinheiro esquecido do BC.

 

Para não cair em golpes que envolvam a consulta e também o resgate dos valores do dinheiro esquecido nas instituições financeiras, é preciso ter muita atenção e cautela.

 

Lembre-se sempre que o único site disponível e responsável por fazer a verificação e a solicitação das quantias, é justamente a página do Banco Central do Brasil (valoresareceber.bcb.gov.br). 

 

Se por acaso você receber algum link suspeito e que não corresponda ao endereço acima, seja via WhatsApp ou SMS, não clique.

 

É preciso reforçar também que o Banco Central do Brasil não entra em contato com os beneficiários que possuem valores disponíveis para saque nos bancos. Sendo assim, se você receber ligações, SMS ou mesmo e-mails com a identificação do BC, saiba que são tentativas de fraude e golpes que podem roubar suas informações e dinheiro.

 

As instituições que devem as quantias também não fazem qualquer tipo de solicitação de dados pessoais, tais como senhas ou pagamentos de tarifas para que ocorra a devolução dos valores esquecidos.

 

Portanto, tenha muita atenção ao consultar e resgatar o seu dinheiro. E se você ainda não fez a consulta dos valores, siga o passo a passo que ensinamos acima e não deixe de conferir se você tem dinheiro esquecido ou não.

 

Essa iniciativa do BC é ótima para quem precisa de um dinheiro extra para pagar dívidas, investir ou mesmo dar aquela aliviada no orçamento nesse período do ano pós-pandemia.

 

Acesse o site do Banco Central do Brasil e não deixe de fazer a sua consulta!

 

Pablo Januario