Educação financeira nas escolas

Atualizado em 7 de ago de 2020
Anúncios

O número de pessoas inadimplentes no Brasil não é pequeno. A cada ano, vemos os brasileiros se endividarem mais e mais, e em parte, esse descontrole nas finanças pessoais é causado pela ausência da educação financeira no sistema de ensino brasileiro.

Sim, a educação financeira é fundamental para todo tipo de pessoa, afinal, é só com ela que você pode aprender a ter mais organização e consciência a respeito do uso do seu dinheiro, evitando a contração de dívidas e desequilíbrios no orçamento.

Você sabia que, ainda este ano, a educação financeira passará a ser obrigatória no ensino infantil e fundamental em todas as escolas do país?

Exatamente! E se você gostaria de entender como isso realmente irá acontecer, nós separamos as principais informações sobre a temática logo abaixo! Siga lendo e confira!

Educação financeira nas escolas: como vai funcionar?

A educação financeira passará a ser parte da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). E sendo assim, será uma matéria transversal que poderá ser aplicada em aulas e projetos diversos, sempre com a ideia de incentivar os alunos a cuidarem melhor do dinheiro deles, visando a independência financeira.

BNCC: o que é?

A sigla BNCC, que significa Base Nacional Comum Curricular, é o nome dado para o documento que delimita o mínimo que deve ser ensinado nas escolas, definindo o conteúdo desde a educação infantil, até o ensino médio.

Anúncios

Com a educação financeira sendo adicionada à BNCC, todos os brasileiros em idade escolar terão o direito de aprender sobre a matéria.

Quais serão os desafios?

O modo como essa matéria será oferecida aos alunos irá depender da estrutura de cada rede de ensino, além da formação dos professores, material didático e preparo de aulas para ministrar a disciplina.

Leia também:
10 melhores empresas de crédito pessoal em 2020

Luiz Miguel Garcia, presidente da União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), em entrevista para a Agência Brasil, disse que os municípios serão os responsáveis por formar os seus docentes no ano.

Com isso, será possível agregar a educação financeira no ensino infantil e fundamental, além de outras competências que estão previstas na BNCC.

Para finalizar, também vale mencionar que, segundo o parecer do CNE (Conselho Nacional de Educação), homologado pelo MEC (Ministério da Educação), os currículos do ensino infantil e do ensino fundamental serão adequados para este ano, incluindo a disciplina de educação financeira nas escolas e algumas outras temáticas a mais.

A importância da educação financeira

Para você ter uma ideia da importância que a educação financeira pode ter no desenvolvimento do Brasil, saiba que segundo dados do Serasa Experian, o número de inadimplentes chegou em 63,8 milhões em janeiro deste ano, o que significou um aumento de 2,6% em relação ao ano anterior.

Logicamente, não é possível atribuir esses dados apenas à ausência de educação financeira, porém, é fato que os brasileiros não entendem bem como lidar com suas finanças pessoais, e por isso acabam se endividando.

Com a implantação da educação financeira em todas as escolas, podemos ter um futuro mais positivo, onde o número de inadimplentes não seja tão expressivo.

Anúncios

Pablo Januario