Entenda o porquê dos brasileiros deixarem os bancos tradicionais e migrarem para os digitais

Atualizado em 24 de fev de 2021

Em termos de inovação na área de tecnologia, o ano de 2020 foi um dos de maior destaque dos últimos tempos, principalmente quando falamos de assuntos financeiros. Nesses termos, foi exatamente neste ano que vimos um verdadeiro boom dos bancos digitais e fintechs.

Anúncios

A empresa Seven, que possui mais de 15 anos de atuação no ramo de proteção de transações financeiras, concluiu em uma análise que o ano de 2020 foi um dos mais notórios para o âmbito digital das finanças pessoais.

Outro dado interessante vem da Fiserv, empresa que atua no mercado de processamento de transações via cartão, e aponta em pesquisa recente  que 20% dos brasileiros já possuem uma conta em um banco digital. 

Anúncios

Situação dos bancos digitais

Com cerca de 40 milhões de usuários, a pesquisa da Fiserv também apontou que os bancos digitais são muito populares entre as pessoas de 18 a 34 anos, que equivale a 21% dessa faixa etária.

Em constante crescimento, essas fintechs se tornaram uma concorrência de peso para as instituições mais tradicionais.

Buscando constantemente pela inovação, os bancos digitais também serviram como porta de saída para os clientes que queriam menos taxas e um atendimento mais prático e pouco burocrático.

No mercado nacional, temos como principais bancos digitais o Nubank, o Banco Inter, o C6 Bank, o Banco Original, o Mercado Pago e o Neon.

Participação dos bancos digitais ultrapassa tradicionais

Em 2019, a participação dos bancos tradicionais no mercado era de 52% contra 48% dos digitais.

Já em 2020, esses números acabaram por se inverter e os bancos digitais passaram a ter 52% de participação no mercado.

Os bancos digitais costumam oferecer seguros, cartões de crédito sem cobrança de taxa de anuidade, carteira de investimentos, empréstimos e conta-corrente sem tarifas, e com isso, garantem mais dinamismo no seu uso.

Além disso, o objetivo por trás da maioria dessas empresas é chamar a atenção do seu usuário pela facilidade e praticidade do manuseio dos seus aplicativos, criando sempre uma experiência fluida e bem intuitiva.

Vale mencionar também os diversos descontos em operações e compras em lojas parceiras, com cupons exclusivos em apps de delivery e etc.

E o que isso tudo causa no consumidor? Bom, quando você oferece uma gama ampla de serviços e sem a cobrança de taxas desnecessárias, logicamente o cliente vai se afeiçoar pela instituição, afinal, quem não quer evitar grandes burocracias e taxas abusivas?

Vantagens dos bancos digitais em relação aos tradicionais

Menos taxas

Grande parte dos bancos digitais não cobram dos seus clientes aquela taxa de manutenção de conta. E sejamos francos, se o banco já lucra tanto com os juros e taxas pelas transações, por que ainda temos que pagar para ter uma conta na instituição?

Anúncios

Sim, os bancos tradicionais ainda possuem uma estrutura maior, e isso acaba por demandar um gasto maior, porém, esse excesso de taxas e tarifas não faz o menor sentido.

Os bancos digitais, ao isentarem as tarifas de seus clientes, provam que é possível operar sem cobrar a taxa de manutenção e outras mais.

Sem filas

Não é só mais barato ter uma conta em um banco digital, é também mais prático e fará com que você economize muito tempo e não passe por tanto estresse.

Isso ocorre, pois não há filas onde você perde um tempão para fazer coisas simples, como abrir uma conta ou mesmo pedir um cartão de crédito.

No banco digital, tudo é feito diretamente através do aplicativo, e mesmo que você tenha que esperar um pouco (como no caso da aprovação de um limite de crédito), não será necessário ficar numa fila por horas.

Suporte online em horários diferenciados

Grande parte dos bancos digitais oferecem aos seus clientes um suporte online infinitamente superior às instituições mais tradicionais.

Além de poder acessar o suporte no próprio aplicativo e não precisar ir até uma agência, muitos deles também oferecem esse atendimento nos finais de semana e em horários diferenciados, como à noite, por exemplo.

Sem burocracia

Da mesma forma que ocorre com as filas, a grande burocracia também é um dos motivos que faz com que as pessoas troquem um banco tradicional por uma opção digital.

Não há dúvidas que a burocracia para abrir uma conta em uma fintech é menor que em um banco físico. Para isso, basta escanear um documento, preencher alguns dados básicos e pronto.

Tudo é feito diretamente no aplicativo e não faz com que o cliente perca tempo e sofra com uma série de documentos e comprovantes que, para uma mera abertura de conta, são totalmente desnecessários.

Melhor rendimento e possibilidade de aplicações

Seja em uma aplicação que rende mais que a poupança ou até mesmo no mercado de ações, os bancos digitais oferecem uma infinidade de opções para você fazer o seu dinheiro render.

No Nubank, que atualmente é o maior banco digital independente do Brasil, o rendimento da sua conta-corrente é maior que a poupança, sendo 100% do CDB. Caso você não conheça, este é o Certificado de Depósito Bancário, um investimento de renda fixa popular entre os investidores mais conservadores.

Já o Banco Inter, por exemplo, oferece uma carteira de investimentos completa para o seu usuário. Na interface, você pode escolher onde quer investir o seu dinheiro, com opções em renda fixa, renda variável, fundos de investimento, previdência privada e grupos de investimento.

Porém, tirando o CDB de liquidez diária, os outros investimentos requerem que você deixe o dinheiro investido por um prazo determinado. Mas mesmo assim vale mais a pena que deixar o seu dinheiro na poupança, afinal, ela tem um rendimento baixíssimo e abaixo da inflação, ainda mais num ano em que a taxa Selic está tão baixa.

De todo modo, se você já cansou das tarifas, burocracias e da falta de praticidade dos bancos tradicionais, opte por fazer uma migração. O mercado está cheio de opções de bancos digitais e você pode escolher aquele que mais combinar com o seu perfil!

 

Pablo Januario