Financiamento imobiliário: dicas para conseguir o seu

Atualizado em 12 de ago de 2020
Anúncios

Você pensa em comprar a sua própria casa? Esse sonho é compartilhado por milhares de brasileiros, e nesse sentido, saber como conseguir um empréstimo imobiliário é fundamental.

Dentre todas as opções, sem dúvidas essa é a melhor para quem quer fazer um ótimo negócio.

Planejamento financeiro é essencial antes de dar entrada e seu imóvel. Nesse momento, é necessário pesquisar e colocar na ponta do lápis todas as opções que você tem, analisando aquelas que possuem as condições mais favoráveis e que serão melhores para você pagar.

Durante sua solicitação de crédito imobiliário, você pode fazer usufruto de uma série de recursos de entrada ou para amortizar o valor do empréstimo em questão, como o FGTS.

Então, se você deseja adquirir a casa própria e está cogitando solicitar um crédito imobiliário, esse é o lugar ideal! Abaixo, você irá conhecer algumas dicas importantíssimas para conseguir escolher a instituição que mais se encaixa em seu bolso.

Siga lendo e confira!

 

Anúncios

A importância do planejamento

Antes de contratar um financiamento imobiliário, é de suma importância organizar-se financeiramente, ou seja, antes de dar a entrada no sonho da casa própria, economize!

Organize-se para que seja possível separar uma parte da sua renda mensalmente, e com isso, aplicar esses valores em investimentos interessantes, como o DCB (Certificado de Depósito Bancário) e o LCI (Letra de Crédito Imobiliário), ambas aplicações que rendem bastante.

Além disso tudo, tenha muita atenção aos valores para entender como realizar o seu financiamento. Lembre-se que as parcelas do seu empréstimo não devem ser maiores que 30% da sua renda mensal.

Ou seja, se você ganha R$ 5 mil ao mês, a melhor opção é contratar um empréstimo de, no máximo, R$ 1,5 mil de parcela ao mês.

Leia também:
Financiamento Caixa Casa Própria 2019 – Detalhes das mudanças nas taxas

Corte gastos desnecessários caso queira poupar dinheiro. Antes de comprar qualquer produto, pense muito bem e dê preferência para o pagamento com cartão de débito e boleto, sempre à vista.

É normal que cartões de crédito e o cheque especial sejam grandes vilões quando o assunto é endividamento.

Compreenda suas opções de financiamento

Bom, imagine que você tomou a decisão de financiar o seu imóvel. A partir disso, é importante descobrir quais são as opções para dar entrada nesse sonho.

Por exemplo, dependendo da situação, você pode fazer uso do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço).

Nessa modalidade, a pessoa física pode dar entrada no imóvel e quitar parte do empréstimo. Mas atente-se às regras dos benefícios:

  • O imóvel deve estar no mesmo município da residência do solicitante;
  • É permitido a trabalhadores que contribuíram durante três anos, mesmo que não tenham sido consecutivos;
  • O FGTS deve conseguir quitar em até 80% o valor de cada parcela durante doze meses;
  • Não é permitido o uso do benefício para aqueles que já possuem propriedades registradas em seu nome;
  • A liberação só ocorre perante registro no cartório;
  • Não é permitido que o requerente tenha empréstimos ativos no SFH (Sistema Financeiro da Habitação) em todo o Brasil;
  • Caso o FGTS tenha sido utilizado em outros financiamentos nos últimos três anos, não será permitido o uso do benefício;
  • Imóveis acima dos R$ 500 mil não poderão ser quitados com os valores do FGTS;
  • Negativados também pode usufruir do benefício.

Verifique as condições do programa Minha Casa Minha Vida

O programa Minha Casa Minha Vida, da Caixa é um dos mais populares no Brasil no quesito de financiamento imobiliário, e isso se dá por conta das inúmeras facilidades que ele agrega.

Leia também:
Financiamento de Imóvel pelo Banco do Brasil - Como Simular e Contratar

Por meio dele, é possível adquirir uma propriedade de determinado valor com taxas de juros bem reduzidas. Conheça algumas das suas normas:

  • Apenas maiores de idade podem participar;
  • As famílias devem ter renda mensal entre um e dez salários mínimos;
  • O solicitante deve ter o nome limpo no SPC/Serasa;
  • Não é permitido que o solicitante tenha outros imóveis em seu nome.

Sistemas de amortização

Você conhece os processos de financiamento estudantil? Caso sim, sabe que ele fica ainda mais difícil se a pessoa tem o nome sujo.

Atualmente, no Brasil nós temos três diferentes modelos que podem ser utilizados para manter o seu equilíbrio financeiro.

Vejamos quais são:

  • SAC: a sigla significa Sistema de Amortização Constante, e nesse modelo, as primeiras parcelas do financiamento tendem a ter um valor mais alto, e no decorrer dos meses, acabam por ficar mais baratas.

Nele, o cálculo de financiamento é feito assim: juros mais elevados no início e que vão diminuindo com o passar do tempo;

  • Sacre: esse é o Sistema de Amortização Crescente, e ocorre quando as parcelas de um determinado financiamento começam com um valor baixo, e com o passar do tempo, vão aumentando até chegar na metade do empréstimo.

Ao acontecer isso, elas começam a decair novamente até a última prestação;

  • Tabela Price: por último, mas não menos importante, a tabela Price permite que as prestações do financiamento tenham o mesmo valor ao decorrer de todo o tempo.

Apesar desse fator, no início as parcelas serão compostas basicamente de amortização, e no fim, serão predominantemente juros.

Escolha a instituição financeira que possui o melhor crédito

Bom, ao longo do texto você pode conferir dicas importantíssimas para conseguir o seu financiamento.

Leia também:
Como Financiar um Imóvel pelo Bradesco

Agora, esta aqui é uma das mais importantes e que você sempre deve considerar: busque as instituições financeiras que possuem as melhores taxas de juros. Para ter sucesso nessa tarefa, pesquise muito e compare tudo aquilo que encontra na sua frente.

A importância de pesquisar, analisar e escolher a oferta que mais combina com o seu bolso é essencial. Com a internet, você tem acesso a conteúdos incríveis e que podem ser ótimos para te ajudar nesse momento de escolha.

Não analise apenas a taxa de juros, mas sim todas as condições do empréstimo, inclusive, o Custo Efetivo Total, pois ele é importantíssimo para que você entenda bem qual será o valor total desse crédito.

Seguindo todas as dicas, você terá, com certeza, muito sucesso ao escolher o melhor financiamento imobiliário.

Anúncios

Pablo Januario