IR 2021: empréstimos acima de R$ 5 mil devem ser declarados

Atualizado em 30 de mar de 2021

Você adquiriu algum empréstimo com um valor acima de R$ 5 mil no ano passado? Então saiba que será necessário acrescentar esse valor em sua declaração de Imposto de Renda 2021.

Anúncios

E como esses montantes são considerados rendimentos neutros, logo, não aumentarão o cálculo do imposto, mas mesmo assim devem ser declarados para evitar que você caia na malha fina.

No ano de 2021, o prazo para enviar a sua declaração à Receita Federal começou este mês e tem data final em 30 de abril. Sendo assim, os empréstimos que não são financiamento para compra de bens devem ser declarados na ficha “Dívidas e Ônus Reais”, que fica na região esquerda do programa de declaração.

Anúncios

É importante lembrar aqui, que o cheque especial também é considerado um empréstimo.

Se você quer entender melhor deste e de outros detalhes relacionados à declaração de IR 2021, nós separamos informações relevantes e que você precisa saber para não ter problemas futuros com o leão.

Então, siga lendo e confira!

Como declarar empréstimo acima de R$ 5 mil no Imposto de Renda 2021?

Bom, antes de qualquer coisa, é preciso ressaltar que, caso o empréstimo tenha sido feito com pessoa física, quem emprestou o valor também precisa fazer a declaração. Isso ocorre, pois, quando recebe o dinheiro de volta, o fisco tem como entender o motivo da transferência. Com isso, o declarante que tiver emprestado dinheiro, precisa incluí-lo como crédito a receber.

Além disso, caso um empréstimo tenha sido adquirido para o financiamento de carro ou casa, é preciso que você faça a declaração do Imposto de Renda na ficha de “Bens e Direitos”, com o código relativo ao bem.

Nos campos, o declarante deve incluir informações sobre o determinado bem e o montante que ele pagou até dia 31/12/2019 e também o valor pago até 31/12/2020. 

Veja mudanças da declaração para o ano de 2021

Bom, entre as principais novidades para este ano na declaração de Imposto de Renda, é obrigatório declarar o Auxílio Emergencial para aqueles que receberam mais de R$ 22.847,76 (ou seja, que não tinham direito ao benefício).

Além disso, o leão também criou para este ano, três campos na ficha “Bens e Direitos”, para que com isso, você possa declarar no imposto às suas rendas com criptomoedas e outros ativos de origem eletrônica.

O prazo para as empresas, instituições financeiras, bancos e planos de saúde oferecerem os comprovantes de rendimento, finalizou no dia 26 de fevereiro.

Com isso, caso você não tenha recebido o documento devido, entre em contato com a instituição responsável.

Lembrando que você também deve juntar recibos de aluguéis, pensões, prestações de serviços e notas fiscais para comprovar todas as deduções.

Quem deve declarar Imposto de Renda em 2021?

O contribuinte que teve algum tipo de rendimento – seja ele tributável ou não – pode ter que declarar o IR à Receita Federal este ano. O prazo final para prestar contas começou no dia 1° e março e termina às 23h50 do dia 30 de abril.

Anúncios

A regra vale para os aposentados do INSS, servidores públicos e assalariados que tenham recebido rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 no ano. 

Os trabalhadores que receberam auxílio emergencial e tiveram renda acima de R$ 22,847,76, também devem enviar a declaração, e com isso, devolver o auxílio.

A multa mínima para quem é obrigado a declarar e atrasa o envio é de R$ 164,75. Este valor tende a variar de 1% a 20% do imposto devido. Quem entrega em atraso e tem direito à restituição, têm a multa descontada diretamente do valor que o fisco pagará.

Veja as categorias que precisam fazer a declaração:

  • Teve rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 (como salário, renda como autônomo ou aluguel de imóveis, por exemplo);
  • Teve rendimentos isentos, não tributáveis ou então tributados exclusivamente na fonte acima de R$ 40 mil (também inclui FGTS e seguro-desemprego);
  • Tinha, na data 31/12/2020, bens e direitos de mais de R$ 300 mil (neste caso, é necessário somar o valor da casa, do carro, de terrenos e outros bens, mesmo que estejam financiados);
  • Recebeu auxílio emergencial e teve renda tributável acima de R$ 22.847,76 no ano (Aqui, pode ser que o fisco cobre a devolução do valor;
  • Teve lucro ao vender bens sujeitos à incidência do Imposto de Renda;
  • Realizou algum tipo de operação na Bolsa de Valores no ano de 2020;
  • Começou a morar no Brasil e aqui estava em 31/12/2020;
  • Escolheu pela isenção do IR sobre o ganho de lucro na venda de imóvel residencial com valor aplicado na compra de outro imóvel no país (no prazo de até 180 dias da venda);
  • Recebeu ao longo do ano, receita bruta com atividade de origem rural acima de R$ 142.798,50 ou então quer compensar as perdas na área.

Documentos para o IR 2021

Bom, declarar o seu Imposto de Renda pode ser uma tarefa difícil e que exige algumas coisas em específico, e uma das principais dúvidas existentes quanto a isso, é quais os documentos necessários para preencher a declaração.

Em geral, a Receita Federal quer ficar por dentro do que ocorre em sua vida financeira, e dado isso, é indispensável que você tenha em mãos os Informes de Rendimentos que apontam quanto você ganhou ao longo do seu ano, seja com o seu trabalho, imóveis ou investimentos.

Além disso, também é de suma importância que você tenha os recibos, comprovantes e notas fiscais que mostrem as suas despesas, para que com isso, você receba a restituição do valor gasto com saúde ou educação.

Para a declaração de dependentes, por exemplo, você precisa dos seguintes dados: 

CPF (independente da idade do mesmo), nome completo, data de nascimento e qual o parentesco, além dos documentos que comprovem os bens e rendimentos de cada um desses dependentes.

Em alguns casos mais específicos, pode ser que a receita exija a apresentação de outros documentos e comprovantes.

Pablo Januario