Por que o arroz está mais caro? Entenda a situação

Atualizado em 23 de set de 2020
Anúncios

Que o ano de 2020 tem sido de muitas surpresas, ninguém discorda. Porém, o que mais tem impactado o dia a dia dos brasileiros nas últimas semanas é o expressivo aumento que alguns produtos da cesta básica sofreram, e dentre eles, o arroz é um dos que encabeça os mais caros.

Se você foi ao supermercado, possivelmente também se surpreendeu ao ver o preço do arroz, certo? Mas por que isso está acontecendo? O que levou o arroz e outros produtos a ficarem tão caros assim?

Logicamente, a resposta não é tão simples e envolve uma série de fatores que, de alguma forma, estão atrelados à pandemia causada pelo novo coronavírus. Se você quer entender o porquê de tudo isso, siga com a sua leitura.

Por que o arroz está mais caro?

Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgados no último dia 9 de setembro, demonstrou que o arroz sofreu um aumento de preço de quase 20% desde o início deste ano.

E não foi só o arroz que sofreu esse aumento expressivo. Além dele, outros alimentos também tiveram um reajuste no preço, como o feijão-mulatinho (subiu 32,6%), a abobrinha (subiu 46,8%) e a cebola (subiu 50,4%).

Ainda vale comentarmos que o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) alcançou o índice de 2,44% no acumulado dos últimos 12% até agosto. Enquanto isso, o índice da alimentação em domicílio foi para 11,4%.

Anúncios

E o que explica esse surpreendente aumento?

Bom, a principal causa é a pandemia, mesmo que de forma indireta. Tanto o isolamento social, quanto o próprio Auxílio Emergencial que o governo concedeu aos trabalhadores impactados pela pandemia, contribuíram para esses aumentos.

Com a população cada vez mais em casa e com recursos para consumirem itens da cesta básica, a demanda por eles aumentou consideravelmente, acarretando no aumento dos seus preços.

Leia também:
Empréstimo consignado: como quitar de forma antecipada?

Câmbio também influenciou no aumento dos preços

Mas não foi apenas o Auxílio Emergencial e o isolamento que fizeram os itens da cesta básica subirem de preço. O câmbio também impulsionou essa situação.

Com o dólar mais caro, as exportações ficaram mais lucrativas, ou seja, os produtos comprados do Brasil, terão uma rentabilidade maior no mercado externo.

Para você ter uma ideia, foram exportadas do Brasil 212 mil toneladas de arroz, um número que representa 98% a mais do que no mesmo período do ano passado, segundo dados do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada).

Como economizar no supermercado?

Apesar dos altos preços praticados no supermercado, é possível economizar ao fazer suas compras no supermercado. Confira algumas dicas que irão te ajudar a economizar:

  • Atenção às promoções;
  • Evite comprar produtos supérfluos;
  • Antes de ir ao supermercado, prepare uma lista de compras;
  • Pesquise por preços em mais de um supermercado;
  • Se possível, não leve crianças para fazer compras com você;
  • Evite comprar por impulso, itens que não estão na lista que você preparou.

Pesquise, compare e economize.

Anúncios

Pablo Januario