Ter/Comprar carro vale a pena? Entenda os números e dicas!

Atualizado em 23 de abr de 2020

Sem dúvidas, ter um carro é parte do desejo de consumo de muitas pessoas no país. Mas será que realmente vale a pena para o nosso bolso ter o custo mensal que um carro demanda?

Antes de comprar o seu, análise alguns dados e veja quais são os gastos fixos e aqueles que você terá esporadicamente com o seu veículo, colocando tudo no papel para não prejudicar o seu orçamento.

A modernidade chegou

A tecnologia avançou consideravelmente e hoje ela está presente em grande parte de nosso dia a dia. Hoje realizamos pagamentos com QR code e os bancos tradicionais estão se tornando cada vez mais antiquados e obsoletos, sinal de que a tecnologia chegou para ficar.

E quando estamos falando de transporte, também estamos nos referindo a uma área que a tecnologia está presente e altamente evoluída. Pra você ter uma ideia, cada vez mais se tornam recorrentes as notícias sobre os carros autônomos, que não precisam de motoristas para circular. Mesmo que seja uma tecnologia ainda em desenvolvimento, mostra o quanto estamos evoluindo nessa área.

Na atualidade, não só é possível chamar um carro por aplicativo de celular, como também é possível dividir a corrida com outros passageiros que você nem conhece. Viagens de longa distância também são uma realidade e até mesmo os taxistas se reinventaram para lidar com a mudança que a tecnologia iniciou na área de transporte.

Dado todo esse avanço, ainda é viável comprar e manter um carro? Será que os gastos, impostos e todos os custos que ter um carro acarreta não o tornaram uma opção pouco interessante para o nosso bolso? Se você também possui essa dúvida, chegou a hora de esclarecê-la. Siga com a sua leitura e confira um pouco mais sobre os números envolvidos em ter um carro.

Leia também:
Carro 0km com 30% de desconto para MEIs e pequenos empreendedores

Ter ou não ter? Eis a questão

Antes de qualquer coisa, é preciso mencionar que esse tipo de decisão é estritamente pessoal e é necessário avaliar cada situação em particular. É necessário colocar na ponta do lápis as mais variadas situações de seu contexto, para apurar com detalhes todos os possíveis custos de se ter um carro, e no final disso, fazer as devidas comparações e ver o que é melhor para o seu orçamento.

Logicamente, não existem respostas mágicas e definitivas, mas é necessário analisar cada uma das opções para ver se não só a questão financeira vale a pena, mas também questões pessoais e de comodidade.

Reveja os seus hábitos

Ter um carro não é uma situação apenas de status, e sim de conforto e liberdade. Possuindo um veículo, você pode ir para onde quiser, no momento que quiser.

Porém, vale mencionar que isso não significa que você não precise reconsiderar os seus hábitos de vida. Claro que para quem já possui um carro, abrir mão dele é uma mudança de vida bem importante.

Como saber o custo de um carro?

Para colocar todas as despesas na ponta do lápis e realmente saber quanto custa ter um carro, é bem simples e qualquer pessoa pode chegar ao resultado: liste todos os custos e some. Sim, parece simplório demais, porém, é exatamente assim que funciona. Alguns desses custos são anuais e outros mensais. A sugestão é que você crie uma tabela com espaço para ambos, listando o custo mensal e o anual.

De início, você não terá um cálculo perfeito, mas tente fazer o melhor que pode e ajuste essa tabela com o tempo, de acordo com os seus gastos e necessidades.

O mais importante é começar.

Leia também:
Simular Financiamento de carro Sem entrada

IPVA e seguro

Tanto o IPVA como o seguro são custos anuais. O seguro referido aqui, por exemplo, não é o DPVAT, o seguro obrigatório, mas sim aqueles que contratamos de seguradoras para o caso de acidentes ou roubos.

É interessante lembrar que o seguro é um tipo de despesa que a gente está se utilizando diariamente. Assim que saímos na rua com o carro, já estamos fazendo uso dele e a noção de tranquilidade pela existência da cobertura caso aconteça algo faz parte do consumo diário do seguro. Por isso o pagamos.

Mas na hora de contratar um seguro, é necessário ter atenção e cuidados. Busque saber como ele funciona, quais as suas condições de cobertura, inclusive porque ele pode não cobrir a necessidade básica que você tem.

Ao saber os custos que ele terá, lance esses valores na tabela na coluna dos custos anuais e depois divida por 12 e adicione os valores na coluna dos custos mensais. Com isso feito, você poderá entender o que o gasto tanto com seguro, quanto com o IPVA, significam para o seu bolso ao final do mês, sendo mais fácil de comparar com os outros gastos que não são mensais.

Gastos com gasolina

Isso pode variar de pessoa para pessoa, pois depende muito do deslocamento que essa faz a cada dia. Ela não é uma conta muito óbvia, mas também não é nenhum monstro de sete cabeças.

Primeiro de tudo, faça uma estimativa de quantos quilômetros você faz por mês com o seu carro. Dificilmente você terá um resultado extremamente preciso, mas lance valores aproximados e vá ajustando conforme o tempo passa.

Após isso, lance o consumo do seu carro na tabela. Basicamente, você precisa dividir a quilometragem rodada pelo consumo do seu carro, e assim, chegará na quantidade de litros necessários por mês. Depois disso, lance o preço médio do litro na região que você costuma abastecer e por fim, multiplique a quantidade consumida pelo preço do litro. Esse será o consumo mensal de combustível em reais.

Manutenção

Manutenção é outra coisa que não é tão precisa de se calcular. Porém, você pode tentar puxar da memória as faturas do seu cartão de crédito, anotações e cheques. Nisso, inclua a troca de óleo e pequenos reparos, além de revisões e lavagens.

Some tudo, lance na coluna de gastos anuais e depois divida por 12 para chegar num custo mensal.

Agora é com você, coloque tudo na ponta do lápis e analise o seu orçamento. Além disso, considere suas necessidades e o porquê você deseja ter um carro. Coloque tudo na balança e veja se vale ou não a pena.

Leo Caprara