Uffa: conheça todos os benefícios que a fintech oferece

Atualizado em 4 de jan de 2021
Anúncios

Você conhece a fintech Uffa?

Já com mais de 10 anos de atuação no mercado financeiro e com uma vivência ativa como executivos da Tróchia, um master service de distressed assets que faz a gestão de ativos, os sócios Alexandre Rosa e Ana Paula Pisaneschi criaram a empresa em 2020.

A fintech Uffa lançou uma plataforma integradora que conecta empresas às pessoas e vice-versa, tudo isso com o objetivo de resolver problemas de cunho financeiro.

Com o propósito inicial de ser uma solução digital de cobrança que oferecesse suporte às necessidades das carteiras de crédito e suprisse as dores que no mercado existem, o Uffa acabou desenvolvendo um verdadeiro portal, completo e de uso prático, para a resolução de problemas financeiros.

A empresa oferece serviços de negociação de dívidas, abertura de conta-corrente e até mesmo concessão de empréstimos.

O Uffa lançou um portfólio de serviços que trazem altos benefícios para os dois lados da moeda, seja para as empresas, mas também para o público final.

Então, se você buscava uma empresa completa e que te oferecesse as melhores soluções financeiras do mercado, precisa conhecer o Uffa, portal pioneiro em reunir diversos tipos de serviço em um único sistema.

Anúncios

Neste texto, reunimos alguns dos principais benefícios que você pode encontrar no Uffa, como ela funciona e quais os objetivos da fintech. Siga com a sua leitura e venha conferir!

Anúncios

Vantagens da fintech Uffa para empresas e pessoas físicas

Para pessoas físicas, o Uffa disponibiliza uma espécie de programa de fidelidade, além de meios alternativos de pagamento e vouchers especiais, tudo isso para auxiliar na recuperação de crédito dos clientes que se encontram em situação de inadimplência e também para reduzir a possibilidade de quebra de acordo.

O Uffa possui uma preocupação bem evidente: a relação entre a empresa e o cliente durante os processos de cobrança. Por isso, a fintech trabalha com um mindset diferente do tradicionalmente visto no mercado, trazendo bom humor para um momento que – em muitos casos – é delicado e estressante.

Hoje em dia, mesmo com o avanço das relações entre empresas e clientes e com o aparecimento de portais online para a negociação de dívidas, ainda é bem comum que os devedores recebam uma ampla quantidade de mensagens e ligações de cobrança, o que acaba prejudicando a relação com a marca.

Segundo Ana Paula Pisaneschi, CEO da fintech: “Nós (Uffa) analisamos o perfil do consumidor e fazemos um contato interativo, garantindo que a negociação seja mais ágil, simples e empática”.

Agora, para o consumidor final, a empresa também oferece uma gama ampla de serviços e produtos financeiros. Os clientes da fintech têm acesso a uma variedade de meios de pagamento, além de uma plataforma online para a solicitação de crédito, onde é possível pedir um empréstimo para pagar dívidas, tudo no portal.

Ana Paula continua dizendo: “Somos o único portal na internet que aceita meios de pagamentos alternativos, como o cartão de crédito e vale alimentação. Temos também um programa de incentivo com vouchers e cashbacks – para os optantes do pagamento em boleto, o que torna essa negociação ainda mais assertiva”.

Usando a tecnologia a favor da negociação de dívidas

Com o uso da inteligência artificial de reconhecimento emocional, a plataforma é capaz de detectar nove tipos de sentimentos.

Isso mesmo, o sistema do Uffa pode observar emoções como a tristeza, preocupação e tensão, gerando descontos que vêm para ajudar na intermediação e negociação.

“A ideia é mudar a forma como as pessoas se relacionam com o mercado de crédito e ajudar as empresas na recuperação das dívidas. Por isso, criamos uma solução interativa e divertida que torna o processo muito mais leve. Com IA, aumentamos o engajamento, divertimos o usuário e mostramos a eles como pode ser leve resolver seus problemas financeiros. Para as empresas, aumentamos a capilaridade para recuperação, ao atingir um público diferente”, complementa Ana Paula.

Para você ter uma ideia da expansão da empresa, em menos de um ano o Uffa reuniu cerca de 2 milhões de pessoas e empresas em sua plataforma, que hoje já possui mais de 11 instituições financeiras como parceiras da marca.

No primeiro mês de atuação, a fintech registrou um crescimento de 53%.

A Ceo aponta: “Desde o início, nosso objetivo foi ajudar as pessoas e trazer mais efetividade  para o mercado de crédito e cobrança. Por isso, fornecemos um serviço completo que atinge as duas pontas, pessoas e empresas, e traz mais assertividade para o setor”.

Um pouco sobre o Uffa

Em síntese, o Uffa é o primeiro Super Portal Financeiro do Brasil, que tem como objetivo conectar empresas às pessoas.

Em um único portal, é possível realizar uma série de tarefas para solucionar problemas de cunho financeiro, como negociar dívidas com meios de pagamentos diferentes dos tradicionais (como cartões de crédito, cartões de débito, boleto e QR Code), além de receber cashback ao pagar suas contas em dia.

A fintech também disponibiliza para os seus clientes, vouchers especiais de desconto, além de conceder empréstimos, conta-corrente e gestão das finanças pessoais.

A empresa também foi pioneira ao desenvolver a primeira tecnologia de inteligência artificial que reconhece emoções. O sistema entende o emocional do cliente e assim, pode oferecer descontos de acordo com o que ele expressa.

Com rápida expansão, a empresa que foi criada no ano de 2020, já possui mais de 2 milhões de pessoas e empresas cadastradas em seu sistema.

Em síntese, é uma empresa moderna e que oferece serviços para pessoas físicas e jurídicas, com o principal intuito de melhorar a relação entre os dois lados.

Enquanto os consumidores finais têm acesso a ótimos produtos financeiros, as empresas contam com um “meio de campo” especializado na negociação de dívidas, tratando esse processo com bom humor e não causando conflitos na cobrança de inadimplentes.

Para quem ainda não conhecia o Uffa e se impressionou com o que a empresa oferece, pode acessar o site e conferir todos os detalhes.

Anúncios
Leia também:
Público poderá ajudar na criação do novo cartão da Credicard

Pablo Januario